Jerusalém - As Páginas Mais Sanguinárias da História da Cristandade

Jerusalém - As Páginas Mais Sanguinárias da História da Cristandade - Frediani,Andrea | Hoshan.org Temos o prazer de apresentar o livro . em PDF, TXT, FB2 ou qualquer outro formato possível em hoshan.org.

EM FORMAÇÃO

AUTOR
Frediani,Andrea
DIMENSÃO
5,71 MB
NOME DO ARQUIVO
Jerusalém - As Páginas Mais Sanguinárias da História da Cristandade.pdf
ISBN
8895777832860

DESCRIÇÃO

Jerusalém, 70 d.C. Um jovem, membro da família de Jesus, salva as memórias escritas por Tiago, irmão de Cristo, da devastação romana promovida por Tito. Mais de mil anos depois, o manuscrito reaparece, em Mogúncia, nas mãos da comunidade hebraica, que pretende usá-lo como prova da absoluta inocência dos judeus na morte de Jesus. Agora, em 1099, enquanto a cidade é assediada pelos cruzados, o precioso documento está novamente em Jerusalém, onde os chefes cristãos o procuram a fim de impedir que a mensagem provoque uma cisão no cerne da Igreja. Oito destinos se entrelaçam à sorte do memorial de Tiago: duas irmãs judias, sobreviventes ao pogrom dos cruzados na Germânia; uma prostituta semipagã e um monge cluniacense que escaparam do desastroso epílogo da cruzada de Pedro, o Eremita; um emir árabe e três ex-combatentes da Batalha de Manzikert: um normando, um bizantino e um turco. Entre perseguições e assaltos, segredos e confissões, os oito personagens lutam e combatem pela Cidade Santa, e também para resgatar as sombras do próprio passado. Assim, terminam por ter de proteger a si mesmos e aos que amam do assédio e das ambições dos chefes da expedição cruzada, além de manter a dignidade e a humanidade, malgrado o impiedoso fanatismo e a intolerância que os circundam. Reconstruído com vívido realismo, tanto nos episódios sangrentos como nas sombrias motivações dos agentes do conflito, ganha corpo o choque entre duas religiões, a cristã e a muçulmana, o qual cresce em ferocidade dia após dia, até o insensato massacre final.

Um jovem, membro da família de Jesus, salva as memórias escritas por Tiago, irmão de Cristo, da devastação romana promovida por Tito. Mais de mil anos depois, o manuscrito reaparece, em Mogúncia, nas mãos da comunidade hebraica, que pretende usá-lo como prova da absoluta inocência dos judeus na morte de Jesus.

Três anos depois, em 1099, os cruzados cercam Jerusalém com o objetivo de libertá-la do jugo muçulmano. Muitos historiadores vêm tentando há algum tempo esclarecer os fatos sobre as Cruzadas - equívocos são muito comuns. Para eles, o interesse atual é uma oportunidade para explicar as Cruzadas, enquanto as pessoas estão realmente ouvindo.

LIVROS RELACIONADOS