O Inventário Como Tática - A Fotografia e A Poética Das Coleções

O Inventário Como Tática - A Fotografia e A Poética Das Coleções - Pimentel,Leandro | Hoshan.org Temos o prazer de apresentar o livro . em PDF, TXT, FB2 ou qualquer outro formato possível em hoshan.org.

EM FORMAÇÃO

AUTOR
Pimentel,Leandro
DIMENSÃO
11,62 MB
NOME DO ARQUIVO
O Inventário Como Tática - A Fotografia e A Poética Das Coleções.pdf
ISBN
8181154011205

DESCRIÇÃO

Leandro Pimentel costumava ser fotógrafo. Ainda é. Mas, depois deste “O Inventário Como Tática”, será também conhecido como pensador arguto e original da fotografia contemporânea. Arguto porque soube identificar, na infinidade de imagens que hoje se produzem, um gesto decisivo que marca as obras fotográficas mais instigantes da atualidade. Original porque encontrou aí, nos inventários mais reiterativos, um signo de liberdade, um desafio à mercadoria, a proposição de um saber comum e a radicalidade de uma ação política. Fotografar foi desde sempre colecionar fragmentos de mundos. Turistas colecionavam viagens, famílias colecionavam momentos, fãs colecionavam celebridades, jornais colecionavam acontecimentos. Muito cedo, as fotografias encontraram maneiras de viver juntas em álbuns, caixas de sapatos e arquivos. Mas a fotografia (ou cada fotógrafo, tanto faz) não resistiu à tentação da obra-prima. Desde fins do século XIX e por boa parte do XX, testemunhamos o desmonte sistemático dos arquivos, das coleções e dos inventários. Tudo isso em nome da singularidade dos autores e do (devido) valor de suas imagens. Mas, a despeito do silenciamento da poética das séries fotográficas, apesar da vertigem do múltiplo e do pânico da banalidade, elas nunca foram completamente banidas da fotografia. Seguiram perturbando, desde o fundo de cada câmera escura, a paz luminosa das obras-primas. Hannah Arendt acreditava que cabia a cada geração – no seu agir e no seu pensar – preencher a lacuna entre o passado e o futuro, e assim conquistar o seu presente. Essa tarefa, claro, nunca foi apenas do pensamento e da política, mas cabia igualmente à arte. Para nós, que vivemos depois dos modernismos, a missão parece demasiado árdua. Leandro Pimentel viu nas caixas-d’água do casal Becher esse gesto – aqui chamado de “tática” – que busca conquistar o presente por meio de um curto-circuito em que cada imagem cintila entre o passado e o futuro, livre da responsabilidade de ser a primeira ou a última.

(PIMENTEL, Leandro. O inventário como tática: a fotografia e a poética das coleções.

Resumo: A produção de fotografias sob um rigor formal e sua organização em um sistema classificatório tornou-se uma prática recorrente em diversos campos do saber. Com o advento da fotografia digital, muitos paradigmas fotográficos foram alterados.Com aparelhos cada vez menores, mais simples de manipular e que produzem fotografias em alta qualidade, a internet facilitando o fluxo das imagens, a fotografia tornou-se algo muito mais simples e popular do que era. O Inventário Como Tática - A Fotografia e A Poética Das Coleções: Amazon.es: Leandro Pimentel: Libros Selecciona Tus Preferencias de Cookies Utilizamos cookies y herramientas similares para mejorar tu experiencia de compra, prestar nuestros servicios, entender cómo los utilizas para poder mejorarlos, y para mostrarte anuncios. Ao destacar o inventário como tática, este ensaio sugere alguns. ...

LIVROS RELACIONADOS